A Depressão

Todo mundo uma vez ou outra na vida se sente abatido ou triste. É um comportamento natural à redução, aos desafios da vida e à baixa auto-estima. Porém, às vezes, este sentimento de abatimento se torna intensivo, dura longos períodos e retira o indivíduo da vida comum. A depressão é o mais comum dos transtornos mentais, porém é uma enfermidade tratável. Os tipos de depressão são: clássica, distimia e transtorno bipolar.

Depressão

A Organização Mundial da Saúde calcula que, em vinte anos, a depressão ocupará o segundo lugar no ranking dos males que mais matam.

Aceitar a depressão é freqüentemente o maior atravanco para descrever e alimentar a depressão. Lamentavelmente, mais ou menos meio dos indivíduos que passa pela depressão em algum modo possui a enfermidade diagnosticada ou tratada. E isso talvez pode ser uma advertência: mais de 10% das indivíduos que abrange depressão se suicidam.

Os sintomas

Os mais comuns são abatimento, desânimo, desânimo, falta de sono ou exagero de sono, alteração da fome, falta de atração sexual, irritabilidade e apatia, até inclusive para realizar atividades simples, como tomar uma ducha, assistir tv ou ler jornal. Pode ocorrer similarmente a figura de pensamentos pessimistas e repetitivos, falta de concentração, ataques de ansiedade e dores físicas não justificadas por complicações médicos.

É importante diferenciar o abatimento e depressão, o primeiro é provocado por um agente assíduo que ocorre na vida do indivíduo, tende a aumentar com o tempo e não compromete as atividades diárias. Já a depressão causa sentimentos desagradáveis por diversos dias e costuma dificultar com o mudar do tempo, inclusive que aconteçam coisas boas na vida do indivíduo, prejudicando a vida em sociedade e profissional da pessoa.

Causas

Para avaliar as causas que levaram a pessoa a ficar abatida devem-se levar em conta elementos hereditários, biológicos, psicológicos, psicossociais, o histórico do individuo e os acidentes que aconteceram na vida dele e que são capazes de ter levado ao advento do quadro.

A enfermidade não pode ser evitada, porém pode ser identificada precocemente e tratada com brevidade para garantir mais qualidade de vida ao paciente.

Tratamento e cura

Com o auxilio de orientação psicológica, remédios, medicina psicossomática ou tratamento com hipnose, a enfermidade pode ser controlada e até inclusive curada.

A utilização de remédios é comum e há uma série de provas científicas que apontam que a depressão é provocada por modificações químicas no cérebro da pessoa. Por isto, na maior parte dos casos são usados remédios que possam equilibrá-las. Porém eles nem sequer
são importantes, cabe ao médico realizar uma análise do quadro e do impacto da depressão nas atividades diárias do paciente e acarretar se há a necessidade de um remédio, qual é a elemento indicada e em qual porção.

O tratamento com terapia é um espaço no qual o paciente procura o autoconhecimento, organiza seus pensamentos e sentimentos e reflete sobre eles. O profissional, por sua vez, acontece apoiando ao paciente, o enxergar e a analisar bem como aguentar de maneira distinta com os acasos, ajudando-o a enxergá-los de forma mais clara, o que acontece mais segurança para afrontar a sua rotina.

Veja também:

Depressão, Wikipédia.

Teste: Você está a beira da depressão?, UOL.

Você também pode gostar de ver:

O mal de Parkinson

Epilepsia, Ataque epilético mais conhecido como Convulsão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *